Teatro da Solidão Solidária abre Julho com 4º Encontro Mundial Virtual

O caráter de quem goza de autonomia, da liberdade com relação a
algo ou alguém, será o ponto chave do 4º Encontro Mundial Virtual,
que o Teatro da Solidão Solidária realizará em 02 de julho próximo,
das 14h às 17h, pela plataforma digital ZOOM, com a participação
de artistas brasileiros, estrangeiros e formadores de opinião.

A data que dá lugar a esta edição é, nada mais, nada menos, do
que uma celebração à Independência da Bahia. Um movimento que
teve início em 19 de fevereiro de 1822 e desfecho em 02 de julho
de 1823. Tudo isso motivado pelo sentimento federalista
emancipador de seu povo, que terminou pela inserção da
então província na unidade nacional brasileira, durante a Guerra da
Independência do Brasil.
“Esta data é um marco na história brasileira, a Independência da
Bahia. Então, será uma celebração a cultura do estado. Estaremos
recebendo artistas de vários países que têm ligação com o Brasil,
em especial, a Bahia. Eles se juntarão aos nossos artistas, tanto do
interior do estado, como da capital, Salvador, cidade considerada a
nossa Roma negra, por abrigar a maior população negra do planeta
fora do continente africano”, revelou Ivan Antonio, promoter e
coordenador do encontro.
Para celebrar a importante data com os baianos, a organização do
Encontro Mundial convidou um grupo de artistas da África, além da
Secretária de Cultura do Município de Camaçari, Márcia Tude, além
da escritora, cineasta, atriz , artista plástica e compositora de
música eletrônica dos Estados Unidos, Alisa Clements e, ainda,
indispensáveis artistas de peso do Brasil, Itália e Portugal.

-Publicidade-
-Publicidade-

Na ocasião, o Teatro da Solidão Solidária homenageará o poeta
Manuca Almeida (In Memorian), um dos autores de “Esperando na
Janela” junto com Targino Godim. A música que ganhou o Grammy
Latino chegou a ser gravada pelo cantor e compositor baiano,
Gilberto Gil. Além de Manuca, serão agraciados também, o ator
Jackson Costa, Vovô (ativista político e dos direitos humanos), que
é também, presidente do Ilê Aiê (Bloco Afro), Vá Botelho (Diretor do
Balé Folclórico da Bahia), Vadinha Moura (Atriz e Diretora do Teatro
Módulo), além de Iray Galrão (Escritora) Edson Costa(Coordenador
da rede Emunde (Rede Mundial Etnico Empreendedorismo) e Zé

Raimundo (Compositor da música “Beija Flor gravada pela
Timbalada e por diversos artistas brasileiros)

Diálogos e trocas de experiências sobre arte, cultura, educação,
política, direitos humanos, entre outros assuntos farão parte desta
edição do evento, promovido mensalmente. Na verdade, é uma
preparação para o Encontro Mundial presencial que acontecerá em
2022, nas cidades de Salvador e Camaçari, na Bahia, São Paulo e
Fortaleza, no Brasil, como também, em Nova York, nos Estados
Unidos e, ainda, em Portugal, Itália e França, na Europa.

Em suas três edições realizadas recentemente, o Encontro Mundial
contou com as ilustres presenças virtuais de reconhecidos artistas
brasileiros da televisão, do cinema e da música, que entoaram seus
cantos e histórias sobre a MPB. São eles:  Paulo Betti, Sérgio
Mamberti, Tadeu Di Pietro e, ainda, Zeca Baleiro, Paulinho Boca de
Cantor (Grupo Novos Baianos), o menestrel do forró no mundo, Del
Feliz, Elpídio Bastos (Compositor e diretor musical do Olodum) João
Netto ( Compositor e cantor pernambucano)e Ca Cau (Compositor,
cantor e diretor do Atelier Travessia em São Paulo) Josefa
Ravagnani (Maetrina, cantora e compositora) Creuza Borges ( Atriz
e Diretora do grupo Dragão 7 sediado na capital paulista) e os
ambientalistas Valdir Rios (Poeta, radialista e idealizador e
coordenador do projeto ColorirCidade) e Durval Borges de Aguiar
( Diretor executivo do Instituto AIDEIA e idealizador do espaço
ambiental Arborize ) e a mestra em geografia ,escritora ,
compositora e cantora Márcia Wayna Kambeba , Indígena do povo
Omágua/Kambeba do Amazonas.

Outros expoentes da cultura de diversos países interagiram com os
artistas do Brasil sobre temas emergentes como compaixão, ética,
tolerância, solidão e solidariedade humana. Estiveram entre eles,
Ernesto Dabó (Guiné Bissau), Bas’Llele Malomalo (Congo) Ana
Pracaschandra Chandi e Antonio Salgado, ambos de Portugal,
Paula Gayatri,  Iramar Amaral e Simona Amaral (Itália),  Noora
Becker (Palestina) Katerina Barabouti (Grécia) e Kyara Orlando
(Inglaterra), como também, Vera Campos, Gregory Giroud, Jean
Marc Andrieu e Cecília Alves (França).

O Teatro da Solidão Solidária
Trata-se de um método de mediação, resolução de conflitos e
inclusão social através da arte. O Teatro da Solidão Solidária é uma

criação do poeta, dramaturgo, compositor e cineasta pernambucano
de Arcoverde, radicado em Camaçari, na Bahia, Ivan Antonio.

Como participar do 4º Encontro Mundial Virtual?  
Via plataforma digital ZOOM com transmissão AO VIVO em 02 de
julho de 2020, das 14h às 17h, pelo FACEBOOK do TEATRO DA
SOLIDÃO SOLIDÁRIA. Os interessados devem encaminhar e-mail
e whatsapp para o endereço: solidaosolidaria@bol.com.br

 

-Publicidade-
-Publicidade-