“Senti a sensação de estar morrendo afogada no seco”, relata Drª Cristiane Bacelar sobre contágio da Covid-19

Recuperada da Covid-19, Drª Cristiane Bacelar (Republicanos), suplente da Câmara Municipal de Camaçari, relata em vídeo publicado nas redes sociais como foram os dias de angústia e o processo de recuperação.

Os primeiros sintomas foram leves: coriza e dor de garganta. “Achei que estava com uma baixa de imunidade, decorrente de todo meu trabalho, mas não era”. Drª Cristiane conta que com três dias perdeu completamente o olfato e paladar e iniciou um protocolo de medicação.

“O sétimo dia de contágio foi um dos piores da minha vida. Passei a noite em claro, rezando para que o dia amanhecesse, porque era uma falta de ar absurda. Eu ouvi as pessoas falarem que é a sensação de morrer afogado no seco e eu vivi essa experiência: senti a sensação de estar morrendo afogada no seco. Uma sensação que você puxa o ar e o ar não chega nos seus pulmões”, declara.

A Covid-19 chegou a acometer 50% dos seus pulmões, intensificando a falta de ar, e afetou o coração, com taquicardia. “Eu era paciente para respirador, mas eu pedi para ela [médica pneumologista], como a minha saturação estava conseguindo manter nos limites mínimos, eu pedi para ela que não me deixasse entubar. Porque tinha uma coisa dentro de mim que falava: se eu fosse entubada , eu não voltaria mais”, revela.

Diante da angústia, Bacelar afirma que lhe restaram boas lições como o valor da família e a das pequenas coisas. “Bem materiais vem e vão, mas eles não te salvam num momento desse. É um vírus que veio de forma horizontal, ele não escolhe raça, não escolhe gênero, não escolhe idade, não escolhe classe social. Ele acomete a todos”, ressalta ao reforçar a importância da utilização da máscara e lavagem das mãos com água e sabão.

“Graças a Deus hoje posso dizer que venci mais uma batalha e sei que tenho ainda um grande propósito na terra”.

Veja abaixo vídeo completo