Aulas presenciais não deverão ser retomadas em 2020 na RMS; decisão foi tomada por prefeitos e secretários em reunião

As aulas nas redes pública e privadas dos municípios da Região Metropolitana de Salvador (RMS) estão suspensas desde março e não deverão retornar em 2020.

Em reunião nesta terça-feira (4), prefeitos e secretários municipais da Saúde e Educação debateram diretrizes para a consolidação do plano unificado destinado à educação e chegaram ao consenso, de maneira unânime, pelo não retorno das aulas durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) ou somente quando disponibilizarem a vacina, como explica a Prefeitura de Camaçari.

-Publicidade-
-Publicidade-

Esse foi o primeiro encontro do grupo que colocou em pauta o ano letivo dos estudantes da RMS. Em nota, o governo municipal afirma que mesmo com esse posicionamento, gestores e secretários pontuaram alguns indicativos e possíveis condicionantes que precisam ser considerados para a volta das atividades, como por exemplo, a garantia dos transportes escolares e intermunicipais para que os estudantes e professores se desloquem até as unidades escolares.

Entre outras condicionantes estão a efetivação de aulas remotas contando com o suporte das plataformas de TV e Rádio do Governo do Estado; testagem em massa dos alunos; e retorno das aulas de maneira sincronizada entre infantil, ensino médio, fundamental I e II, na perspectiva de não ter retorno no ano de 2020. O encontro contou com a  interação dos secretários das cidades de Mata de São João, Pojuca, Simões Filho, São Francisco do Conde, Lauro de Freitas, Itaparica, São Sebastião do Passé e Madre de Deus.

Para o prefeito de Camaçari, Elinaldo Araújo (DEM), é necessário atentar quanto à importância de ter como prioridade a proteção da vida dos alunos e de todos os colaboradores da rede de ensino. “Nós precisamos estar preparados para que possamos caminhar na mesma direção. Compreendo que cada município tem as suas dificuldades, mas a saúde dos nossos estudantes e professores estão em primeiro lugar. Então, nesse momento precisamos agir com cautela e sabedoria”, salientou o gestor.

A titular da Seduc de Camaçari, Neurilene Martins, se posicionou à favor de continuar estimulando o diálogo com as famílias dos estudantes e sinalizou que o provável retorno das aulas poderá ser planejado por fases. “Nós temos que ter a clareza que quando a educação voltar será em fases, de acordo com as determinações sanitárias e pedagógicas. Nesse momento torna-se fundamental refletirmos sobre essas questões técnicas. Ter um protocolo compartilhado nos dá transparência e melhores condições de cuidarmos dos nossos estudantes”, destacou a secretária, que ainda ouviu as medidas que cada Secretaria da Educação dos outros municípios tem planejado para o desenvolvimento do documento.

“Antes de qualquer coisa precisamos observar o cenário epidemiológico, as medidas sanitárias, o transporte, questões orçamentárias, números de leitos pediátricos disponíveis no sistema público e privado de saúde. A partir disso podemos analisar as etapas e os passos necessários para a formatação do protocolo”, explicou o titular da Sesau, Luiz Duplat, que ao final da reunião avaliou o diálogo com os demais gestores como positiva e bastante produtiva.

O encontro foi mediado pelo secretário da Saúde de Dias d’Ávila, Caio Clécio, que na oportunidade, comentou sobre a relevância da RMS estar atuando de maneira coletiva na consolidação dos planos de retomada da economia e da educação. “Nós iniciamos de forma acertada com um grande debate regional sobre todas as estratégias de enfrentamento a pandemia […] agora nós podemos debater sobre o protocolo das aulas respeitando as singularidades e particularidades da educação”, pontuou.

Outras questões ainda foram pontuadas na reunião, com a realidade socioeconômica dos estudantes; o acesso à internet; e uma atenção voltada aos aspectos socioemocional, pedagógico e sanitário a fim de garantir que os alunos e professores sejam amparados por esses três parâmetros.

Um encontro presencial está previsto para acontecer na sexta-feira (7), a partir das 9h, com os prefeitos e secretários municipais e estaduais das pastas da Saúde e da Educação da Região Metropolitana de Salvador. A reunião ocorrerá no auditório da União dos Municípios da Bahia (UPB), situado no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador. Na pauta, os representantes apresentarão os resultados deste primeiro diálogo, realizado de maneira virtual, ao governador da Bahia, Rui Costa (PT).