Confira liberação e restrições das praias a partir desta segunda (21) em Salvador

As tão aguardadas praias vão retornar a partir desta segunda-feira, 21. No entanto, algumas restrições foram adotadas pela determinação da prefeitura de Salvador (BA), para conter a disseminação do novo coronavírus entre soteropolitanos e turistas.

As regiões de São Tomé de Paripe, Tubarão, Ribeira, Amaralina e Itapuã vão poder abrir a partir da terça-feira, 22. Enquanto que, o Porto da Barra, Buracão e Paciência (ambas últimas localizadas no Rio Vermelho), seguem fechadas. As demais podem funcionar de segunda a sexta.

-Publicidade-
-Publicidade-

No caso das praias do Subúrbio, Ribeira, Amaralina e Itapuã, elas também costumam reunir muita gente às segundas e por isso não estarão abertas nesse dia”, explicou ACM Neto.

“No caso do Porto da Barra, do Buracão e da Paciência, elas não vão reabrir porque possuem uma faixa de areia muito estreia, e costumam ter um fluxo grande de pessoas mesmo durante os dias de semana. É uma questão de segurança”, afirmou o prefeito.

Aos feriados e finais de semana, nenhuma praia pode abrir “para evitar aglomerações”, destaca ACM Neto. .

O horário de uso das praias será livre, comércios ambulantes seguem proibidos, inclusive de alimentos e bebidas. Além disso, barracas, uso de cadeiras, guarda-sóis, ombrelones, sombreiros, instrumentos musicais, equipamentos sonoros, caixas térmicas, piqueniques e luaus também estão desautorizados.

“Pode fazer protesto, pode reclamar. Nesse momento não podemos permitir qualquer atividade comercial nas praias”, cita ACM.

Não há restrições quanto ao limite de banhistas, mas o distanciamento mínimo de 1,5m entre os frequentadores deve ser respeitado, bem como, o uso de máscara enquanto as pessoas estiverem na areia. A Guarda Civil Municipal (GCM) vai fiscalizar o cumprimento do protocolo.

As atividades esportivas vão ser liberadas, mas só as realizadas de maneira individuais ou em duplas, com exceção das que ocasionem contato físico entre os praticantes e coletivos, como o famoso “baba”.

Fonte: Correio