512 candidatos estão na disputa por uma das 21 cadeiras da Câmara de Vereadores de Camaçari

As eleições 2020 acontecem logo mais e, desta vez, será o momento de decidir quem estará à frente do poder público municipal pelos próximos quatro anos, ou seja, prefeitos, vice-prefeitos e vereadores.

O trajeto de um candidato até o governo, envolve diversas interações com os eleitores e conhecimento genuíno das principais necessidades da sociedade local, por isso, com tantas opções de nomes e partidos, observar a trajetória e conhecer os projetos de cada candidato, torna-se crucial para culminar em uma boa escolha.

-Publicidade-
-Publicidade-

Neste ano, pela primeira vez, candidatos ao cargo de vereador não poderão concorrer por meio de coligações, conforme aprovado pelo Congresso Nacional, por meio da reforma eleitoral de 2017 (Lei 13.877/19). Sendo assim, o candidato a uma cadeira na câmara municipal somente poderá participar do pleito em chapa única, dentro do partido ao qual é filiado. Cada município deve ter, no mínimo, nove e no máximo, 55 vereadores, dependendo da população de cada cidade.

 

Em Camaçari, um total de 512 candidatos estão na disputa por uma das 21 cadeiras da Câmara de Vereadores, mas, você sabe o que, de fato, faz um vereador?

Principal elo entre o governo e o povo, os vereadores têm o poder de ouvir o que os eleitores querem, propor e aprovar esses pedidos na Câmara Municipal e fiscalizar se o prefeito e seus secretários estão colocando tais demandas em prática. Além de serem os responsáveis por elaborar as leis municipais e fiscalizar a atuação do prefeito, são os vereadores que propõem, discutem e aprovam as leis a serem aplicadas no município. Eles precisam participar de eventos públicos e de interesse da cidade, fazer visitas constantes à comunidade para conhecer a realidade local, ouvir os seus moradores e levar suas demandas ao Poder Executivo. Em outras palavras, cabe ao vereador atuar como porta-voz do povo, defender os interesses da coletividade e dos grupos, para que os projetos de leis sejam discutidos e votados na Câmara Municipal.

Com o eleitor fica a tarefa de acompanhar a atuação do vereador para verificar se o trabalho está sendo bem desenvolvido e, principalmente, para evitar cair no golpe das “falsas promessas”, que costumam surgir fortemente nessa época. Garantir aumento ou reajuste de salário, término ou início de obra de rua; implantação de escola em tempo integral; construção de quadras, postos de saúde, centros esportivos, praças ou pontes, nada disso pode ser ‘prometido’ por um vereador, pois todas essas ações significam a criação de novas despesas para o município e estas, são de responsabilidade da prefeitura.

Portanto, é preciso estar alerta e atento às propostas de campanha de cada candidato, uma vez que o vereador não tem poder para fazer obras, nem para construir nada. O que ele pode e deve fazer é, literalmente, elaborar, regulamentar, analisar, aprovar leis, propor a criação ou extinção de tributos municipais; propor alterações na lei municipal voltada à educação e, acima de tudo, cumprir bem o papel de representar a população na esfera legislativa.

Candidatos

Algumas figuras já possuem cadeira cativa no poder legislativo de Camaçari há muitos anos, no entanto, com a proposta de virar o jogo e mudar esse cenário, novos rostos estão colocando seus nomes na acirrada disputa pelo voto do eleitor camaçariense. É o caso do jovem professor, Kaique Ara (PT), de 25 anos, que, dentre as principais propostas que pretende levar para o governo municipal, destaca a necessidade de assistências psicossocial e psicopedagógica nas escolas do município. “Como professor, percebo que há uma deficiência de profissionais que façam esse tipo de acompanhamento com os estudantes da rede municipal. Além disso, também queremos propor a ampliação da rede de CAPs na área de saúde e a entrega de medicamentos por delivery para que pacientes idosos e residentes de bairros periféricos não precisem se deslocar até os postos de saúde”, salienta, acrescentando que propostas que englobam questões de primeiro emprego, oportunidades para os jovens, preservação do meio ambiente e assistência para os animais, também estarão em pauta nas indicações que pretende fazer ao governo.

Também estreando na carreira política, o cabeleireiro e barbeiro, Tarcisio Coiffeur (DEM), 33 anos, se declara pronto para enfrentar o desafio. Já envolvido com causas e projetos sociais, o camaçariense afirma que a política está desgastada, principalmente, por conta das falsas promessas. E para não repetir esse ‘legado’, Tarcisio afirma que seus maiores projetos estão voltados para os jovens, principais agentes de mudança de uma sociedade, em sua opinião. “Pretendo defender a criação de um espaço que viabilize a profissionalização dos jovens para tirá-los do mundo do tráfico e da prostituição. Um lugar onde eles possam ter acesso a cursos de empreendedorismo para que aprendam a desenvolver profissões. Quero ‘dar a vara’ para ensiná-los a pescar”, reforça.

Por fim, além de compreender o papel de um vereador e ter o cuidado de avaliar suas propostas, o eleitor precisa compreender que o sistema político do Brasil é complexo e que há muitas regras e muitos interesses envolvidos, pois, governar – seja um município, um estado ou o país – não é nada fácil. Agora, ciente de que o seu papel enquanto cidadão é muito importante para garantir que as promessas eleitorais sejam cumpridas, que tal pesquisar o histórico e ficar de olho nos seus candidatos que forem eleitos nas próximas eleições?

Vote consciente!