Projeto Baú das Artes beneficia mais de 2.500 alunos da rede pública de Camaçari

Ensinar de forma lúdica e através de brincadeiras. É com essa proposta que o projeto Baú das Artes, realizado pela instituição Evoluir, em parceira com a Secretaria da Educação (Seduc) de Camaçari, vem estimulando ao longo dos últimos quatro anos que mais de 2.500 crianças do Ensino Fundamental I (1º ao 5º ano) da rede pública municipal de ensino, se desenvolvam enquanto protagonistas do seu processo de aprendizagem por meio da arte, esporte e conscientização ambiental. O programa ainda conta com o patrocínio da empresa Oxiteno.

Segundo a Seduc, o projeto que tem conjuntura pedagógica e organizado a partir dos temas presentes nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN), estabelecidos pelo Ministério da Educação (MEC), como Meio Ambiente; Trabalho e Consumo; Sexualidade; Ética, Saúde e Pluralidade Cultural; e está alinhado à Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Camaçari é uma das cinco cidades da Bahia contempladas anualmente com o Baú das Artes.

-Publicidade-
-Publicidade-

Desde o ano de 2017, mais de 30 unidades escolares da sede, costa e zona rural do município recebem um baú composto por uma biblioteca com mais de 300 livros, além de materiais para desenhar, pintar, colorir, de artes plásticas, instrumentos musicais, jogos educativos, brinquedos, cenários de teatro, fantoches, objetos de jardinagem, materiais sobre higiene, esporte e alimentação saudável. Um dos critérios utilizados para a seleção das escolas está relacionado a etapa da educação básica, que contempla os estudantes dos anos iniciais.

Em 2020, mais seis unidades de ensino foram beneficiadas com a proposta, sendo elas: os centros educacionais Hildebrando Lima Filho, na localidade do Parque das Mangabas, e Yolanda Pires, no Jardim Limoeiro, Barra do Pojuca, situado na localidade que dá nome à escola, além das escolas municipais Alberto Ferreira Brandão, no bairro da Gleba H; Thomaz Camilo, em Areias; e Barra do Jacuípe, localizada na comunidade de igual nome.

Ainda dentro do projeto, os educadores das escolas selecionadas participam de uma capacitação profissional que tem como intuito ajudar o professor no processo ensino-aprendizagem apresentando novas propostas metodológicas, tendo como base os materiais presentes no baú. Os encontros formativos eram todos presenciais e em decorrência da pandemia do novo coronavírus, neste ano, aconteceu de maneira on-line e contou com mais de 70 profissionais da rede.

Na oportunidade, os professores participaram de quatro reuniões através da plataforma Zoom e ainda foi disponibilizada uma sala virtual na ferramenta do Google Classroom a fim de conhecer o gerenciamento do conteúdo do baú, com a consulta de materiais, assim como também as orientações gerais e técnicas para o desenvolvimento do programa nas escolas. Entre os anos de 2017 e 2019, mais de 220 diretores e professores receberam a qualificação.

Conforme a secretaria, esse modelo pedagógico ainda tem o objetivo desenvolver habilidades manuais e emocionais, formas de expressão, criatividade e socialização com o uso de ferramentas ludopedagógicas, beneficiando, principalmente, crianças de 5 a 10 anos.