São João deve ser cancelado novamente na Bahia

Depois da prefeitura de Salvador anunciar a suspensão do carnaval deste ano, o secretário estadual de Turismo (Setur), Fausto Franco, disse ontem que o São João de 2021 também deve ser cancelado por causa da pandemia.

“Particularmente, eu não acredito que a gente vai ter São João. Eu não acredito que a gente vai ter carnaval neste ano. Mesmo não sendo em fevereiro, como já foi anunciado, sendo em outra data. Todo carnaval tem aquele vírus da música do carnaval, come pouco, dorme pouco, toma sol, chuva, aglomeração, e tudo o que vírus quer aglomeração e a gente não pode ter aglomeração como a gente sempre teve no carnaval, com calor humano. Não acredito. Não acredito que vai ter carnaval”, declarou Franco, em entrevista à rádio Salvador FM.

O titular da Setur disse ainda que a aposta do setor de turismo é no verão do próximo ano. “Torço muito para que a gente possa ter um verão de 2021 para 2022 como a gente tinha antes da pandemia. Talvez, já tendo as festas grandes. E o carnaval em 2022”, pontuou.

Em novembro do ano passado, o prefeito de Salvador na época, ACM Neto (DEM), já tinha anunciado a suspensão da festa momesca. A folia, que tradicionalmente ocorre entre os meses de fevereiro e março, foi adiada também por causa da pandemia da Covid-19. “Está cancelado o evento em fevereiro e, por ora, só podemos informar o cancelamento. Não há como especular o carnaval em outra época do ano. A possibilidade de o carnaval acontecer em outro momento de 2021 está condicionada a existência de uma vacina acessível a todos. Caso exista vacina, os prefeitos das maiores cidades do Brasil se unam para um eventual calendário. Agora, nem eu, nem Bruno (Reis, atual prefeito soteropolitano), nem ninguém pode estabelecer uma data, porque essa data dependerá da vacina”, disse ACM Neto na época.

O governo e a prefeitura têm colocado como condicionante para a retomada de festas na capital e no estado a vacinação. Ontem, o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, disse que a expectativa é começar em fevereiro. “Teremos duas grandes vacinas (CoronaVac e Sputinik V) que estão sendo produzidas no Brasil, agora, a pressão tem que ser em cima da Anvisa que deve ser célere no processo (de autorização da vacina)”, afirmou.

Hoje, o prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), deve detalhar à imprensa o Plano Municipal de Vacinação contra o novo coronavírus, em evento no Complexo Municipal de Vigilância à Saúde, na Avenida Vasco da Gama. Na ocasião, o democrata deve apresentar também parte da estrutura de armazenamento das vacinas disponível no complexo.