Trabalhadores da Ford protestam contra fechamento da montadora em Camaçari

Milhares de funcionários do Complexo Ford de Camaçari se reuniram, na manhã desta terça (12), na frente da montadora, para participar da Assembleia Extraordinária convocada pelo Sindicato dos Metalúrgicos. O objetivo da assembleia foi discutir o fechamento da montadora do Brasil, anunciado pela empresa na tarde desta segunda-feira, 11.


Segundo Júlio Bonfim, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Camaçari, com a suspensão das atividades no município, mais de 10 mil trabalhadores diretos e indiretos perderão o emprego. “São oito mil trabalhadores diretos afetados e, com as empresas de auto-peças, o número pode chegar a 12 mil”, informou.

-Publicidade-
-Publicidade-

“Nós vamos tentar negociar, mas vai ser muito difícil. O governador também tem que fazer o máximo para manter os nossos empregos. Não dá só para falar que está negociando com a China. Esse é um discurso paliativo. É preciso uma ação mais forte. Essa decisão vai ter um impacto econômico forte no PIB da região metropolitana e de Camaçari”, disse Júlio Bonfim.

Redação Nossa Metrópole