Veja quais são os veículos que a Ford vai comercializar no país

No começo da tarde de segunda-feira (11), uma decisão tomada em Dearborn, na região metropolitana de Detroit, abalou o Brasil e, principalmente, a Bahia. A decisão do encerramento da produção em Camaçari, veio da sede mundial da Ford nos Estados Unidos.

O mesmo anúncio também finalizou a operação em Taubaté (SP) e marcou o fechamento da Troller, no Ceará, para até o final do semestre. O fabricante já havia tomado a decisão de focar em picapes e SUVs há alguns anos. Mas haviam exceções, como o mercado europeu, que segue com veículos como Fiesta e Focus. No Brasil, o EcoSport seguiria, a nova geração era tocada como projeto BX755, e as negociações apontavam dois novos produtos nessa categoria: BX784 e BX785.

Infelizmente, empregos foram cortados e famílias terão sua renda comprometida. Mas a Ford irá continuar operando no mercado brasileiro. O centro de desenvolvimento de produtos, em Camaçari, irá trabalhar em projetos para a América do Sul e colaborar com outros mercados. O campo de provas em Tatuí, no interior de São Paulo, também será mantido. A sede administrativa continua em São Paulo.

DE AGORA EM DIANTE
Com a saída do Ka, hatch e sedã, e do EcoSport, a Ford irá focar em produtos de maior valor agregado. Essa nova realidade certamente irá afetar a rede de concessionários, que terá que se adaptar – e possivelmente encolher. O novo portfólio irá contemplar uma van, a Transit. Ela será produzida no Uruguai e vai concorrer com Iveco Daily, Mercedes-Benz Sprinter e Renault Master.

Van Transit.

Dos Estados Unidos, trará a versão Mach 1 do Mustang, que foi anunciada em dezembro, e uma configuração híbrida plug-in do Escape, SUV do porte do Jeep Compass. Do México, chegará seu grande lançamento deste ano, o Bronco Sport, outro SUV. A correta precificação desses novos produtos vai ser fundamental para a rentabilidade da Ford como importadora.

Além disso, é esperada para o ano que vem, também via México, a picape Maverick. O utilitário ficaria abaixo da Ranger, concorrendo com a Fiat Toro e uma nova picape da Chevrolet. Há um terceiro produto mexicano: o Mach E, um SUV totalmente elétrico inspirado no Mustang.

ALTOS E BAIXOS
Instalada no país desde 1919, a Ford viveu altos e baixos no mercado brasileiro. De pioneira, chegou a se associar à Volkswagen em 1987. Essa parceria deu origem à Autolatina, que foi desfeita nove anos depois. Nos anos 2000 seu ponto alto foi o lançamento do EcoSport.

O veículo, produzido em Camaçari, deu origem aos SUVs compactos. Por mais de uma década o fabricante americano reinou sozinho nessa categoria. Mas o produto deixou de ser interessante com a chegada de outros concorrentes depois de 2015. Uma nova geração estava prevista para o final deste ano. Ficou só no projeto. O que a Ford assegura é a garantia e a reposição de peças para os veículos descontinuados.

Fonte: Correio

comfiaço