Vacina contra Covid-19 gera inaptidão para doação de sangue por até sete dias

A Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Estado da Bahia (Hemoba) está realizando campanha de doação de sangue com foco em quem pretende tomar a vacina contra a Covid-19. A ideia é incentivar a doação antes de o cidadão receber o imunizante, em função do impedimento temporário. Por determinação do Ministério da Saúde, o voluntário deve ficar de 48 horas a sete dias sem doar, dependendo do tipo da vacina.

De acordo com a nota técnica, publicada nesta quarta-feira, 3, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a inaptidão temporária para doação de sangue deve ser aplicada por 48 horas após cada dose da vacina baseada em vírus inativado, como a da fabricante Sinovac/Butantan e Covaxin/Bharat Biotech, e sete dias após cada dose das demais fabricantes que utilizam vetores virais, RNA mensageiro (mRNA) ou DNA, como as da Astrazeneca/Oxford, produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a Sputnik V, produzida na Rússia.

Segundo a diretoria da Hemoba, o período de inaptidão garante a segurança de possíveis efeitos colaterais nos receptores da transfusão sanguínea. Lembrando que, para doar sangue, é preciso estar em boas condições de saúde, sem sintomas virais, pesar mais de 50 kg, estar bem alimentado e ter entre 16 e 69 anos incompletos.

A Tarde