Secretaria de Saúde emite nota após denúncias sobre a UPA da Gleba A

A Secretaria de Saúde (Sesau) de Camaçari emitiu uma nota de esclarecimento, após denúncias sobre a UPA da Gleba A/Gravatá.

Segue nota na íntegra:

-Publicidade-
-Publicidade-

Com o intuito de esclarecer alguns fatos envolvendo a UPA da Gleba, em decorrência de denúncias que circulam nas redes sociais e alguns sites, a Secretaria de Saúde de Camaçari vem a público informar que já está tomando todas as medidas necessárias para solucionar os fatos, a começar pelas medidas jurídicas cabíveis contra a servidora que publicou nas redes sociais a Fake News sobre a falta de oxigênio na UPA.

Sobre a denúncia de atendimento misturado de pacientes suspeitos de COVID e demais pacientes, a Sesau esclarece que desde o início da pandemia foi implantado em todas as unidades de urgência e emergência um protocolo de atendimento onde, após triagem, os pacientes suspeitos de COVID são atendidos em separados dos demais pacientes. Inclusive as equipes de atendimento são separadas entre equipe COVID e atendimento normal. E assim ocorre até o presente momento.

No que se refere a demora no atendimento, após analisar os prontuários eletrônicos dos pacientes atendidos nos últimos dias, onde é possível identificar o momento que o paciente dá entrada na recepção, a triagem e o momento que o mesmo é atendido no consultório médico, verificou-se que o tempo de atendimento, de acordo com o nível de gravidade da cada paciente, está dentro do preconizado pelo Ministério da Saúde.

Sobre a superlotação de leitos a Sesau informa que há pacientes na UPA há mais de uma semana aguardando ser transferido pela Regulação do Estado para um hospital de referência e não consegue. Situação esta que se agravou desde o momento em que o Hospital Geral de Camaçari fechou a urgência e emergência e a enfermaria de leitos sem dar uma alternativa para o município. Atitude que fez com que todos os pacientes fossem para as unidades de urgência do município e piorou o tempo de espera, dos pacientes internados, por uma transferência. Acarretando assim na superlotação dos leitos devido a demora para os pacientes serem transferidos pela Central de Regulação do Estado.

Sobre os leitos para pacientes COVID, a Secretaria de Saúde informa que até o dia 18 de fevereiro ampliará de 10 para 15 o número de leitos de UTI Covid em Camaçari através do contrato de compensação da dívida do Hospital Santa Helena com o município. E também está em fase final para implantação de 10 leitos de enfermaria para pacientes COVID, também no Hospital Santa Helena.

Sobre o grande número de pessoas na recepção e frente da UPA, conforme circula em vídeos nas redes sociais, a Sesau informa que a maioria dessas pessoas são acompanhantes dos pacientes que muitas vezes chegam a unidade com duas ou três pessoas. E para evitar essa situação instalará já nesta terça-feira (09/2) um toldo com cadeiras, água e ventilação no estacionamento da UPA para que os acompanhantes possam ficar. Onde, somente os pacientes poderão aguardar na recepção da unidade.

A Sesau reitera todo o esforço para garantir o atendimento à população de Camaçari.