Vereadores participam de movimento em defesa do Cacimbão em Arembepe

A Câmara Municipal de Camaçari, representada pelos vereadores Deni de Isqueiro (DEM), Jamessom (PSL) e Vavau (PSB), participou de um movimento, realizado na manhã deste domingo (14/2), em Arembepe, com o intuito de destacar a importância histórica e ambiental do Cacimbão, fonte aquífera localizada no bairro e cuja história tem relação com a origem do município. Moradores promoveram uma caminhada, acompanhada por um minitrio, para chamar a atenção das autoridades e da população para as ocupações irregulares que estão ocorrendo próximo ao Cacimbão, uma região de nascente hídrica que por muito tempo abasteceu a comunidade local.

Morador de Arembepe e coordenador do ONG Coqueiro Solidário, o ambientalista Rivelino Martins descreve o Cacimbão como um importante sítio arqueológico, datado do século XVI, também conhecido como Fonte dos Frades, utilizada pelos jesuítas. “É o maior símbolo que esta comunidade tem e precisa ser protegido. Quando se construiu o loteamento Vilarejo e Vila de Arembepe, foi definido que aquela área alagada seria área verde. É uma área pública que está sendo ocupada de forma irregular, sem respeitar o valor histórico do cacimbão e o ecossistema daquela área”, resumiu.

O vereador Deni de Isqueiro compareceu à mobilização e manifestou apoio à causa defendida pelo movimento. “É preciso salvaguardar o Cacimbão, que é um marco histórico da nossa cidade. Essa manifestação é em defesa deste patrimônio natural. Estaremos encaminhando um requerimento à Câmara pedindo o tombamento e a revitalização deste ambiente”, revelou. O vereador Jamesson destacou a importância de discutir a especulação imobiliária em áreas de proteção ambiental. “Há uma exploração inadequada do solo, construções que agridem o meio ambiente e não geram nenhum retorno social ao município. Isso precisa ser combatido. Sou a favor do meio ambiente e da sustentabilidade”.

Na ocasião, o vereador Vavau lembrou os tempos em que morava em Arembepe, período no qual chegou a fazer uso das águas do Cacimbão. “Este não é um movimento novo, é uma luta centenária. Já morei aqui em Arembepe e já utilizei água desta fonte. Estou aqui pra defender o meio ambiente, que precisa ser preservado”, declarou. Ao final da caminhada, que partiu da Praça dos Coqueiros e terminou no Cacimbão – localizado nas adjacências do Vilarejo e Vila de Arembepe –, os participantes realizaram um abraço simbólico ao redor da fonte.

Ascom CMC