Toque de recolher no estado tem início amanhã e atinge 343 cidades

Em vigor a partir de amanhã, o toque de recolher decretado pelo governador Rui Costa abrangerá 343 dos 417 municípios da Bahia, que caminha para o pior momento da pandemia, segundo as autoridades.

Ficam de fora do toque de recolher somente as regiões Oeste e das cidades de Irecê e Jacobina. Das 22h às 5h, a partir de amanhã, será proibido o funcionamento de serviços não essenciais e a circulação de pessoas nas ruas. A medida terá validade inicial de sete dias.

-Publicidade-
-Publicidade-

“Em três semanas vamos ultrapassar o pior momento da pandemia, onde nós tivemos 30 mil casos ativos e um pouco mais de 70 mortes por dia. Já estamos no patamar de 60 óbitos por dia e em uma curva muito ascendente de crescimento de casos”, declarou o governador, em entrevista à TV Record Itapoan.

Ontem, o governador também se reuniu com representantes da Secretaria de Segurança Pública e da prefeitura de Salvador para discutir detalhes do toque de recolher. Um novo decreto será publicado hoje, com informações como, por exemplo, os estabelecimentos que serão autorizados a funcionar durante a faixa de horário do toque de recolher.

De acordo com o novo decreto, os estabelecimentos comerciais e de serviços deverão finalizar as suas atividades até as 21h30, para possibilitar o deslocamento dos funcionários e colaboradores às suas residências. A determinação não se aplica ao funcionamento dos terminais rodoviários, metroviários e aeroviários ou ao deslocamento de funcionários e colaboradores que atuem na operacionalização destas atividades.

Os meios de transporte metropolitanos (ônibus, metrô, ferryboat e lanchinhas) podem circular até as 22h30. Fica proibido, entre as 22h e as 5h, o funcionamento de bares, restaurantes, lojas de conveniência e demais estabelecimentos similares que vendam bebidas alcóolicas, inclusive na modalidade delivery. Não são afetados pelo decreto os serviços de limpeza pública e manutenção urbana; os serviços delivery de farmácia e medicamentos; e as atividades profissionais de transporte privado de passageiro

Em outro encontro por videoconferência, o governador apresentou a representantes do Ministério Público estadual, Defensoria Pública e Tribunal de Justiça os critérios necessários para o retorno das aulas presenciais na Bahia.

“Para que o retorno das atividades escolares possa acontecer de forma segura para os profissionais de saúde, alunos e seus familiares, três indicadores necessários para o controle da pandemia de Covid-19 precisam ser reduzidos, são eles: o número de casos ativos, o número de óbitos e as taxas de ocupação de leitos e pessoas aguardando por leitos”, disse o chefe do Palácio de Ondina.

O governador apresentou dados alarmantes, como os 15,6 mil casos ativos e uma taxa de ocupação de 76% dos leitos de UTI adulto para pacientes com Covid-19. “É uma situação extremamente delicada, que exige medidas enérgicas para conter avanço do vírus na Bahia. No momento ainda não é possível o retorno das aulas, mas com este diálogo estamos abrindo o caminho para que possamos voltar quando a pandemia estiver controlada”, declarou.

A Tarde