Camaçari reabre comércio nesta segunda-feira (5/4) de forma escalonada

Mais de 30 depois de ter a atividade econômica reduzida por causa da pandemia do novo coronavírus, Camaçari vai reabrir o comércio nesta segunda-feira (5/4) de forma escalonada. Desde o dia 26 de fevereiro de 2021, o município encontra-se com suas atividades econômicas não essenciais suspensas e agora poderá abrir as portas. No entanto, a administração municipal salienta que, o funcionamento deverá respeitar os protocolos sanitários estabelecidos e os horários definidos para cada seguimento conforme o plano.

O acompanhamento para manutenção do processo de reabertura, ou sua interrupção, caso seja necessária, levará em conta o nível de transmissão da doença e o número disponíveis de leitos específicos para pacientes com a Covid-19 em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), isso num cenário macro, sempre levando em consideração os dados do Estado e tomando decisão conjunta com os gestores da Região Metropolitana.

O chefe do Executivo municipal, Elinaldo Araújo, pede a compreensão de toda a população para se unir em um esforço coletivo no cumprimento das medidas de isolamento social. “Estamos atentos aos números da Covid-19 no dia a dia e, com reforço das medidas adotadas, vamos assegurar a abertura das atividades comerciais a partir desta semana, porém, é importante que cada cidadão cumpra e respeite as determinações de distanciamento social e o uso obrigatório de máscaras, para que os números continuem caindo”, explicou o gestor.

Elinaldo acrescenta que empresários, colaboradores e consumidores devem compartilhar da mesma preocupação, que é o comportamento seguro, o respeito e a proteção pelas vidas. Para tanto, as diretrizes gerais apresentadas no plano devem ser seguidas por todos os setores do comércio e serviços, essenciais ou não.

O retorno envolve salões de beleza; academias; comércio varejista; shoppings; bares e restaurantes; escritórios de prestação de serviços; praias; pousadas, hotéis e afins; atacadistas; indústrias; transportes; bancos e casas lotéricas; atividades religiosas; cursos livres; ambulantes e feiras livres.