Mais de 10% dos municípios baianos estão há 15 dias sem casos novos de covid

A Prefeitura de Nova Redenção está há 60 dias sem registrar um caso de covid-19, segundo a secretária de Saúde Raquel Meyre. “São dois meses de trabalho duro para evitar contaminação”, diz. Em toda a Bahia, são 54 municípios que só tiveram casos da doença há 15 dias ou mais, de acordo com o último boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab). Isso equivale a 13% das cidades baianas. E mais, 196 cidades da Bahia (47%) não registraram mortes por covid em agosto.

Para o infectologista Matheus Todt, da S.O.S Vida, o dado é um reflexo do avanço da imunização no estado. “Isso mostra que a vacinação está funcionando, mas do seguinte modo, os casos graves estão sendo reduzidos e as pessoas não estão procurando assistência médica e não são testadas”, explica. Para o professor, isso é um problema, pois casos leves ou assintomáticos estão deixando de ser notificados. “A gente já testava pouco e agora estamos testando menos”, lamenta.

-Publicidade-
-Publicidade-

Nova Redenção, no Centro-Sul baiano e com cerca de 9 mil habitantes, é um exemplo disso. Por lá, apenas quem tem sintomas ou procura assistência médica faz o teste para detecção da doença. “Não tem sentido testar alguém que não tenha sintomas, que não procure o pronto-atendimento”, explica a secretária. Dos exames que são realizados, ela garante, não tem aparecido resultados positivos.

“A gente está montando um ‘projetinho’ para testar todas as gestantes, mesmo sem sintomas”, conta.

Para Todt, não testar com frequência é um problema por gerar aquilo que é chamado de “pandemia silenciosa”. “São pessoas que tem o vírus, mas na sua forma leve ou assintomática e não sabem disso, pois não foram testadas. Isso faz com que a transmissão da doença continue em alta e, assim que encontrar uma brecha, vai se manifestar na forma grave, seja gerando uma variante mais perigosa ou contaminando alguém mais suscetível”, diz.

Depois de terem vivido momentos difíceis na pandemia, cidades comemoram nova realidade
“Essa é uma vitória real que contemplamos depois de tudo que já passamos aqui em Coronel João Sá”. Assim considera Luciana Andrade, coordenadora da Vigilância Epidemiológica, o momento da pandemia vivido na cidade. Em maio desse ano, a venda de bebidas alcoólicas teve que ser suspensa no local para evitar a realização de aglomerações e, consequentemente, a transmissão do vírus.

“Tem em torno de 20 dias que não contabilizamos nenhum caso confirmado e a gente só consegue associar isso à vacinação. Sempre batemos na tecla da importância de fazer busca ativa e testar muito. A gente passou a utilizar essa estratégia até para casos suspeitos e por isso nunca zeramos como agora a quantidade de casos ativos desde quando começamos a contabilizar”, aponta Andrade.

Coordenadora da Vigilância em Saúde de Salinas da Margarida, Midiam Teixeira também atribui a realidade positiva à imunização. “O município está com mais de 93% da população adulta vacinada com a primeira dose. Nós ficamos muito preocupados com a agilidade da aplicação da vacina e, deste modo, desaceleramos a disseminação do vírus, bem como o registro de novos casos”, relata.

Segundo a Sesab, a cidade de Nova Itarana tem 44 dias que não registra um caso da doença. O professor municipal Miguel José da Silva, 51 anos, diz que a comunidade aderiu às medidas de segurança. “Com exceção da juventude, percebo a maioria das pessoas com máscara e mantendo meios de higiene. Também somos bem conscientes quanto a vacinação. Tem um grupo de agentes comunitários que, mesmo se a pessoa quisesse esquecer de tomar, ela não iria conseguir, pois o agente vai na porta, manda mensagem e diz que está na hora”, afirma.

Já em Sítio do Quinto, o prefeito Jair Santos (PSD) considera a vacina como o primeiro fator que contribuiu para a realidade da cidade, mas ele aponta outras razões. “Tem um trabalho firme da equipe da Secretaria de Saúde na conscientização e respeito das orientações dos órgãos competentes. Há também a atuação da equipe de vigilância em saúde e o apoio da Polícia Militar no cumprimento dos decretos”, relata.

Dados da Sesab nem sempre conferem com números dos municípios
Apensar de Nova Redenção estar há dois meses sem registrar casos de covid, o boletim da Sesab divulgado ontem afirma que são 22 dias sem testes positivos no município. Essa demora na atualização dos dados relacionados à doença acontece também em outros locais. Itacaré, localizado no sul da Bahia e com 29 mil habitantes, é uma das cidades que aparecem há mais de 15 dias sem casos de covid, segundo o boletim estadual. A prefeitura contesta.

“A gente estava sem registrar, mas no último boletim semanal, divulgado na sexta-feira (3), tivemos um caso registrado, infelizmente. É uma pessoa da cidade. Está bem, sendo acompanhada e com sintomas leves. Não há casos de internamento”, disse a assessoria de comunicação da gestão.

Já Mutuípe, no centro-sul baiano e com 22 mil habitantes, aparece há 16 dias sem registrar casos para a Sesab, mas os moradores contestam. “Teve uma senhora que morreu de covid recentemente e só ficaram sabendo qual foi a causa depois do enterro. Na família tinha outras três pessoas com a doença e ninguém sabia, pois só foram testados após o sepultamento. Aqui só testam mesmo quando estão com sintomas”, disse uma cidadã, que não quis ser identificada.

Digão (MDB), prefeito de Mutuípe, não respondeu à reportagem. A Sesab também foi procurada para comentar o assunto, mas não respondeu até o fechamento do texto. Já a União dos Municípios da Bahia (UPB) falou sobre mais cidades baianas estarem sem registrar casos de covid. “Isso é resultado do esforço dos municípios para avançar na vacinação e adotar medidas que evitem aglomerações”.

“Em parceria com a Sesab, a entidade vem orientando os gestores a fazer a busca ativa das pessoas com segunda dose aprazadas e dos jovens em idade de tomar a primeira dose para assim conter a circulação do vírus. O avanço na vacinação também é importante para evitar a circulação de novas variantes que porventura apareçam no território baiano”, delcarou a UPB, em nota.

Lista das cidades que não registram casos há 15 dias ou mais, segundo a Sesab:
Nova Itarana – 44 dias
Catolândia – 39 dias
Lajedinho – 38 dias
Itaquara – 36 dias
Planaltino – 36 dias
Barro Alto – 34 dias
Brejolândia – 33 dias
Ipupiara – 31 dias
Caturama – 30 dias
Itacaré – 30 dias
Santa Cruz da Vitória – 30 dias
Santa Inês – 29 dias
Teolândia – 28 dias
Wagner – 26 dias
Piripá – 26 dias
Teodoro Sampaio – 25 dias
Caldeirão Grande – 25 dias
Chorrochó – 23 dias
Firmino Alves – 23 dias
Serra Preta – 22 dias
Nova Redenção – 22 dias
Salinas da Margarida – 22 dias
Coronel João Sá – 22 dias
Sítio do Quinto – 22 dias
Mirangaba – 21 dias
Dom Macedo Costa – 21 dias
Jandaíra – 21 dias
Ouriçangas – 21 dias
Potiraguá – 21 dias
Anguera – 20 dias
Muniz Ferreira – 19 dias
São José do Jacuípe – 18 dias
Jaguaripe – 18 dias
Macureré – 18 dias
Maiqunique – 18 dias
Igaporã – 18 dias
Rio do Pires – 18 dias
Contendas do Sincorá – 18 dias
Uruçuca – 18 dias
Souto Soares – 17 dias
Marcionílio Souza – 17 dias
Varzéa do Poço – 17 dias
Ibirapuã – 17 dias
Itagimirim – 17 dias
Pedro Alexandre – 17 dias
Utinga – 16 dias
Mutuípe – 16 dias
Itanagra – 16 dias
Arataca – 16 dias
Itaeté – 15 dias
Canarana – 15 dias
Umburanas – 15 dias
Presidente Jânio Quadros – 15 dias
Almadina – 15 dias

Fonte: Correio

Fonte: Correio