Sesau Fila Zero, garante zerar a fila de espera de consultas, exames e procedimentos em Camaçari

Em coletiva de imprensa realizada na sala de reuniões da Secretaria de Governo (Segov), o prefeito Elinaldo Araújo e o secretário da Saúde de Camaçari, Elias Natan, apresentaram oficialmente, nesta quinta-feira (7/10), o Sesau Fila Zero, que tem o objetivo de zerar a fila de espera de consultas, exames e procedimentos no município, dos pacientes cadastrados nos Sistemas Oficiais de Regulação da Prefeitura de Camaçari. A iniciativa também possibilitará o recadastramento da população de Camaçari, com emissão do novo Cartão SUS Municipal Viva + Saúde, também apresentado no ato.

O Sesau Fila Zero e o cartão Viva + Saúde foram lançados durante a 9ª Conferência Municipal de Saúde, que iniciou na quarta-feira (6/10) e encerrou nesta quinta. O evento aconteceu no Horto Florestal Linaldo da Silva.

-Publicidade-
-Publicidade-

Para o prefeito Elinaldo, o Sesau Fila Zero chega no momento em que a população mais precisa. “Parabenizo Natan e toda sua equipe pelo planejamento feito até aqui. O projeto vem para sanar de vez com essa herança maldita que é a fila de espera da regulação. Por dia, são atendidas cerca de 350 pessoas. A previsão é que a ação dure entre cinco e seis meses até zerar essa fila de espera. Garanto todo aporte financeiro e político para o sucesso dessa ação que só tem a beneficiar nossa gente”, afirmou o gestor.

Atualmente, o município conta com uma demanda reprimida de 49.990 pessoas, que necessitam de 108 diferentes tipos de procedimentos, entre ultrassonografias, consultas especializadas, exames laboratoriais, além de cirurgias (hernioplastia, vasectomia, histerectomia, dentre outras) e exames diversos. No total, são quase 93 mil procedimentos em fila. Situação que se agravou durante a pandemia da Covid-19.

A primeira fase do Sesau Fila Zero já aconteceu através do levantamento da fila de espera de procedimentos de média e alta complexidade por especialidade e a sua qualificação. “Sabemos exatamente qual a demanda de cada unidade de saúde graças ao modelo de regulação que implantamos em 2019. Estávamos trabalhando para zerar a fila quando veio a pandemia e parou tudo. Agora que as coisas estão se normalizando iremos trabalhar incansavelmente até acabar com essa demanda reprimida”, explicou Elias Natan.

A segunda fase do Fila Zero começa nesta sexta-feira (8/10) com o agendamento dos pacientes da relação nominal nas vagas “Avaliação Fila Zero”. Logo em seguida ocorrerá a divulgação das datas das Avaliações Fila Zero para os pacientes agendados através de vários mecanismos. “Faremos contato com todos os pacientes da fila de espera via Agentes Comunitários de Saúde, telefone, WhatsApp, e-mail, Call Center da Regulação, do 156 e outras estratégias”, detalhou Natan.

Os pacientes poderão ligar para central 156 para consultar a data do seu agendamento e fazer a confirmação. A expectativa é de que no dia 1º de novembro iniciem os atendimentos aos pacientes agendados para confirmação das demandas da fila nas unidades de saúde. Os usuários submetidos à “Avaliação Fila Zero” serão agendados para a “Ação Fila Zero” que começa no dia 10 de janeiro de 2022, cujo atendimento ocorrerá no antigo Camelódromo. Conforme a programação, a intenção é iniciar a realização das cirurgias eletivas em 20 de janeiro de 2022.

Dentre as estratégias adotadas para execução do projeto estão: garantir escala para viabilizar a oferta de serviços; realizar exames pré-operatórios em âmbito local e em único momento; internação em Hospital Dia reduzindo o tempo de permanência; e disponibilização do Call Center Fila Zero.

Cerca de 50 profissionais, por dia, serão responsáveis pela condução do projeto, entre colaboradores da prefeitura e prestadores de serviços, que estarão distribuídos entre: acolhimento/recepção; cartão SUS/prontuário; triagem/consultórios de enfermagem; triagem planejamento familiar; consultórios cirurgia geral; apoio exames; higienização e vigilância; e coordenação.

O cartão Viva + Saúde tem objetivo de recadastrar todos os usuários de Camaçari para acabar com a invasão de cartões SUS na cidade. “Camaçari tem aproximadamente 310 mil habitantes. Entretanto, existem cerca de 600 mil cartões SUS cadastrados como sendo de Camaçari. Isso mostra a invasão de usuários de outros municípios. Dessa forma, não tem recurso financeiro capaz de dar conta de atender nossa população. Através do recadastramento faremos uma limpa nesse banco de dados, deixando apenas as pessoas que moram em Camaçari. Assim conseguiremos fazer com que os recursos investidos atendam especificamente quem mora aqui”, afirmou Elba Brito, responsável pela Diretoria de Controle e Regulação do SUS (Dicores) da Sesau, setor que conduzirá todo processo.