Novo surto de COVID-19 na China gera cancelamentos de voos e testagem em massa da população

Um surto recente de casos positivos para COVID-19 ocorreu em cinco províncias e na capital Pequim, levando o governo a determinar o cancelamento de voos, fechamento de escolas e a testagem em massa da população, objetivando conter a disseminação do vírus.

No mês de Outubro, a Comissão Nacional de Saúde da China divulgou a existência de 13 novos casos, o elevando o número total de infectados de 16 para 42. Devido a isso, a região da Mongólia Interior foi rapidamente isolada e o governo determinou a instauração de uma campanha em larga escala para realização de testes.

Além de tais medidas, as cidades com casos confirmados foram instruídas a estabelecerem obrigatoriamente o lockdown, dessa forma, apenas pessoas com teste negativo podem movimentar-se fora de casa.  Os aeroportos das regiões afetadas foram provisoriamente paralisados e cerca de 60% dos voos de Xi’an e Lanzhou foram cancelados.

Por fim, ainda como parte das medidas de proteção, a Expace, uma empresa aeroespacial, decidiu interromper o desenvolvimento de uma missão que abrangia o foguete Kuaizhou 1-A. Os trabalhadores foram obrigados a adotar o sistema “semi-lockdown” e evitar contato direto com agências internacionais.