Aumento excessivo da gasolina força brasileiros a abastecerem na Argentina

De acordo com reportagem produzida pelo Portal G1, na última semana, 90% dos clientes recebidos em postos argentinos são brasileiros. Devido aos reajustes realizados no preço da gasolina e diesel no Brasil, cruzar a fronteira para aquisição dos mesmos na Argentina têm se mostrado ser a melhor opção.

Em um posto da Argentina, por exemplo, o litro da gasolina chega a custar o equivalente a R$ 3,10. Dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), apontam que a gasolina custa mais de R$ 7 reais em pelo menos 13 estados brasileiros. O valor médio do litro no país é de R$ 6,56 no período de 24 a 30 de outubro.

 

A cidade de Porto Iguaçu, na Argentina, é ligada a Foz do Iguaçu, no Paraná, através da ponte Tancredo Neves, o que facilita a travessia de fronteira para os brasileiros. De acordo com os consumidores, a gasolina chega a custar metade do preço, o que justifica as longas filas encontradas nos postos argentinos.

  Brasileiros abastecem na Argentina — Foto: Giovani Zanardi/RPC – G1

Além das longas filas, para conseguir finalizar a compra, é necessário realizar o teste de COVID na aduana argentina, processo que pode levar horas para ser concluído. Ainda assim, brasileiros não desanimam de buscar a gasolina mais barata.

“Ficamos duas horas e meia pra fazer o teste, mas compensa vir aqui” afirma o brasileiro João Ferreira.

O aumento da demanda também causou a falta de combustível em alguns postos, fazendo com que alguns argentinos optassem por comprar gasolina e levar para casa em galões. Os postos passaram a aceitar o pagamento em real e dividir os consumidores em filas para brasileiros e argentinos, a fim de otimizar o atendimento.