Júnior Borges especula candidatura à ALBA e endossa Elinaldo como vice de Neto

O presidente da Câmara Municipal de Camaçari, Júnior Borges (DEM), foi o entrevistado desta quarta-feira, 17, no programa Isso é Bahia, da rádio A Tarde FM.

No papo, o vereador disse que a Fundação Vereador Dilson Magalhães, com projeto de lei aprovado para sua criação nesta terça-feira, 16, terá como princípio gerir a comunicação entre o poder público e a população, sem estar dependente de instituições.

“A fundação precisa ter independência, sem o crivo do presidente da câmara. Falar daquilo que interessa à nossa população. A transição [dos canais institucionais, como a TV Câmara de Camaçari, para a fundação] não terá dificuldade não. Vamos ficar com alguns dos servidores da própria casa. Essa transição já está sendo trabalhada, temos ideia de já ano que vem realizar um concurso para atender a lacuna [para preencher as vagas]”, afirmou.

O presidente da Câmara de Camaçari disse que o orçamento da casa para a comunicação é de R$ 7 milhões e que técnicos já avaliam qual será o tamanho do dispêndio para que o projeto siga adiante.

Incentivador de uma chapa para o Governo Estadual formada por ACM Neto (DEM) e com o prefeito camaçariense Elinaldo (DEM) como vice, Júnior Borges admite que a Câmara Municipal não avançou no Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) desde o começo da pandemia, mas que estavam nos planos audiências públicas na Câmara.

“O PDDU é uma peça fundamental para o crescimento de Camaçari, em todos os sentidos. Temos uma costa de 42 km de orla, temos que ter todos os cuidados para que nossa costa não seja depredada, em especial com edificações que possam prejudicar o ecossistema e o meio ambiente”, pontuou. O presidente da Câmara disse que, apesar de 2022 ser ano eleitoral, as discussões devem continuar.

Perguntado se há uma aliança com o presidente da Câmara Municipal de Salvador, Geraldo Júnior (MDB), para as eleições de 2022, Júnior Borges confirmou a possibilidade de concorrer como deputado estadual e seu aliado, como deputado federal.

“Essa dobradinha já acontece, há uma parceria forte entre eu e Geraldo Júnior. Apesar de muito conhecido, queremos aproximar Geraldo Júnior ainda mais da população. É um irmão que temos tido o cuidado para que ele esteja aqui conosco”, disse.

No entanto, Júnior Gomes preferiu não dar certeza sobre a possibilidade de sair como candidato a deputado estadual.

“Eu faço parte do grupo de ACM Neto e Elinaldo, então passa por esse grupo. Não tenho vaidade, vontade de poder”, disse o presidente da Câmara Municipal de Camaçari, que diz enxergar que a Bahia precisa respirar novos ares no cenário estadual. “Nós vamos conseguir levar uma mensagem de esperança para o povo baiano, vivemos um caos na educação, a saúde com essa regulação tem estragado a vida do povo baiano, a gente sabe que houve um hiato. Essa preocupação eu tenho visto em ACM Neto, indo pontualmente em cada cidade e vendo as necessidades que a população tem sentido”, disse.

Fonte – A Tarde