Junior Borges, vereador de Camaçari, recebe título de cidadão soteropolitano

Presidente da Câmara de Camaçari, o vereador Júnior Borges (DEM), recebeu, nesta segunda-feira (6), às 19h, o título de cidadão soteropolitano. A honraria foi entregue em sessão solene na Casa Legislativa de Salvador, no Comércio. A justificativa para a concessão foi baseada na campanha que Borges fez para manter cerca de 30 mil empregos na Bahia, muitos deles de moradores de Salvador que trabalham no Polo Industrial de Camaçari.

O vereador camaçariense articulou diálogos com deputados e senadores, em Brasília, para pedir a revogação da medida provisória que colocaria fim ao REIQ, o Regime Especial da Indústria Química, um dispositivo que dá incentivos fiscais para fábricas de produtos químicos. Sem o programa, as taxas em cima das matérias-primas subiriam de 3,65% para 9,75%. As demissões estavam previstas porque, com a alta do imposto, poderia ser mais barato importar os produtos do exterior e comercializá-los do que produzi-los no Brasil.

Além dos empregos ameaçados, a perda de arrecadação de impostos para o estado seria de R$ 325,2 milhões, segundo estimativas da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb). Ao ter conhecimento do impacto, Júnior Borges promoveu encontros com Geraldo Júnior (MDB), presidente da Câmara de Salvador, e também com Rodrigo Pacheco (PSD), presidente do Senado Federal, conquistando a revogação por três anos.

“Além de todos os empregos que perdemos da Ford, estávamos para perder mais 30 mil postos de chefes de família ligados a toda a Região Metropolitana, o que iria reverberar na capital baiana. Por questão desse trabalho a Câmara me concedeu esse reconhecimento”, disse Borges.

A cerimônia contou com a presença do prefeito de Salvador, Bruno Reis, do presidente da Câmara da capital, Geraldo Júnior, e demais vereadores de Salvador, como Átila do Congo, Cláudio Tinoco, Henrique Carvalhal, Ricardo Almeida, Téo Sena, Felipe Lucas, Cris Correia e Marta Rodrigues. A casa legislativa ficou cheia também com a presença de diversos vereadores de Camaçari.

“Júnior tem agora um registro assentado em Salvador e tem o reconhecimento desta casa, por unanimidade, em torná-lo cidadão da cidade de Salvador”, afirmou Geraldo Júnior.

Em seu provável último discurso deste ano na Câmara de Salvador, o prefeito Bruno Reis disse: “Sabemos que muita gente que mora em Salvador trabalha em Camaçari e vice-versa. É uma justa e merecida homenagem. Conheço Júnior desde o começo dos anos 2000 e estou orgulhoso da trajetória de vida pública dele”, disse Reis.

Biografia de Junior Borges

Nascido na cidade de Paulo Afonso em 1969, Júnior Borges migrou para Salvador aos 11 anos. No ano seguinte, foi morar na cidade de Camaçari, na qual vive há mais de 30 anos. Borges tem 42 anos, está no seu terceiro mandato como vereador e alcançou o posto de presidente da Câmara, tendo sido o oitavo mais votado entre os 21 edis eleitos no último pleito.

Ele é graduando em Direito, Técnico em Química pelo Colégio Estadual José de Freitas Mascarenhas, e chegou a trabalhar como auxiliar de pedreiro.

Foi secretário da União Nacional dos Estudantes no Estado da Bahia (UNE) e um dos que contribuíram para a criação da Associação Metropolitana dos Estudantes Secundaristas e Universitários do Estado da Bahia (AMES). Evangélico batizado pela Igreja Adventista do Sétimo Dia, Borges é casado há quase vinte anos com Lenilda Borges e tem dois filhos, Leonardo e Laura.

Em sua trajetória política contribuiu com o movimento estudantil através da instituição da Meia Passagem, Bolsa Universitária e Transporte Universitário. Como Secretário de Habitação de Camaçari por dois anos, criou programas de habitação de interesse social, como o Casa Melhor, que promove melhorias estruturais em imóveis, o Papel Passado, que regulariza a posse de terrenos e casas, e o Escritório Público, que dá assistência técnica para projetos de construção de moradias.