Globo processa homem que jogou pedras na emissora

A Globo tomou a decisão de mover uma ação judicial contra um motorista que apedrejou a sede da emissora, no Rio de Janeiro, após ser demitido da empresa em que trabalhava. No processo, a emissora alega calúnia, injúria, difamação e dano ao patrimônio.

A ação está parada desde 2021 porque o réu ainda não foi notificado oficialmente. As informações são do site Notícias da TV. A Globo tomou a decisão de mover uma ação judicial contra um motorista que apedrejou a sede da emissora, no Rio de Janeiro, após ser demitido da empresa em que trabalhava.

No processo, a emissora alega calúnia, injúria, difamação e dano ao patrimônio. Porém, a ação está parada desde 2021 porque o réu ainda não foi notificado oficialmente. As informações são do site Notícias da TV.

A emissora também registrou um boletim de ocorrência sobre o caso, que ocorreu em 2017. Na época, Reginaldo Obrestes Cristino foi até o prédio de Jornalismo da Globo, na Zona Sul do Rio, e atirou duas pedras nas janelas.

Os seguranças conseguiram conter o homem, e a polícia foi acionada. A ação foi registrada pelas câmeras de segurança do local. Questionado, o homem disse que estava com ódio por ter perdido o emprego por causa da emissora.

Em 2015, uma reportagem do Jornal Nacional expôs o homem dirigindo enquanto falava ao celular. As cenas foram vistas pelos chefes dele, que decidiram demiti-lo. Reginaldo passou a atacar a Globo de maneira recorrente, o que motivou os advogados da emissora a apresentarem uma ação na 26ª Vara Criminal do Rio de Janeiro.

Foram apresentadas duas opções: o pagamento de R$ 1 mil em multa e indenização à Globo pelos custos do que foi quebrado, ou 30 horas de trabalho em serviços comunitários pelo período de um mês.

A Justiça não conseguiu achar o acusado em nenhum dos endereços fornecidos por ele.

Fonte: Espaço da TV