Mais cinco escolas passam a ofertar café da manhã para os alunos em Camaçari

Mais cinco escolas da Rede Pública Municipal de Camaçari passaram a contar com a oferta do café da manhã esta semana, conforme previsto e anunciado pela Secretaria da Educação (Seduc), que vem realizando a inclusão progressiva da nova refeição diária nas unidades de ensino, desde o dia 19 de abril.

As novas unidades de ensino que dispõem do desjejum são as escolas municipais Luís Pereira Costa, Jardim Santo Antônio e Alberto Ferreira Brandão, na sede do município, e as escolas municipais Rosalina Costa de Paula e Nossa Senhora Santana, localizadas na zona rural, área correspondente ao Quilombo de Cordoaria.

Com a ampliação, mais 516 estudantes, que integram as turmas do turno matutino nas referidas escolas, estão sendo diretamente beneficiados. Somados aos estudantes da manhã dos Centros Integrados de Educação Infantil (CIEIs) Caminho do Mar e Pomar Encantado, que inauguraram a iniciativa, cerca de 700 estudantes já contam com a refeição adicional na sua rotina diária.

A continuidade da ampliação da oferta foi tema de uma reunião realizada na manhã desta sexta-feira (29/4), quando foi apresentado à secretária da Educação, Neurilene Martins, o relatório das implementações em andamento. “Essa é uma reunião de acompanhamento, que integra a nossa rotina, pois estamos cuidando dessa oferta com muita dedicação, para que alcance toda a rede o quanto antes. Essa oferta progressiva assumirá uma dinâmica mais fluida com a finalização da contratação das 139 novas cozinheiras, a partir da próxima semana”, anunciou.

As melhorias em andamento incluem, além da introdução gradativa do desjejum nas 102 escolas, outras ações, como a contratação de mais 11 nutricionistas que já estão atuando; a implementação de projetos de educação nutricional e promoção de capacitações constantes; a renovação dos equipamentos de cozinha conforme demanda; e a reestruturação logística e administrativa, dentre outras medidas.

No rol dos benefícios que resultam da reestruturação, está o fato dos gestores escolares poderem se dedicar mais às questões pedagógicas, já que não acumularão mais a responsabilidade de gerir as demandas da cozinha, como o fornecimento de gás, por exemplo.

A inclusão do desjejum ocorre em atendimento de uma demanda que tem origem na própria comunidade escolar, e tem feito a diferença na vida das crianças e adolescentes, por melhorar as condições de aprendizado e, ao mesmo tempo, suprir uma carência de ordem socioeconômica. Vale destacar, que o cardápio leva em consideração o contexto de desjejum, com alimentos nutritivos para fornecer um aporte energético inicial no dia a dia dos estudantes.