Competição de Stand Up Paddle agita Itacimirim

As águas do mar da Praia do Surf, em Itacimirim, Costa de Camaçari, foram o cenário de uma competição que reuniu diversos praticantes de Stand Up Paddle (SUP) neste sábado (4/11). Por lá, 100 atletas amadores e profissionais disputaram o Itacimirim Grand Slam 2023, correspondente à 3ª etapa do Circuito Baiano de Sup Race e à etapa única do Circuito Baiano de Sup Wave 2023.
Foto: Arquivo
O campeonato é uma realização da Associação Baiana de Stand Up Paddle (ABASUP). O presidente da entidade, José Augusto Carvalho, destacou a recepção do evento em Itacimirim. “É uma praia super apropriada para este tipo de competição, a qual frequento há muitos anos. Já fizemos grandes eventos aqui e hoje nós fomos contemplados com uma condição espetacular, a qual agradeço à Prefeitura de Camaçari, aos patrocinadores e apoiadores. Além dos atletas baianos, reunimos aqui também atletas de outros estados, como Brasília, Sergipe, São Paulo e Rio de Janeiro”, afirmou.
Entre as competidoras premiadas, esteve Iris Azi, vice-campeã da categoria Race 14 Profissional Feminino. Ela é vice-presidente da Federação Baiana de Stand Up Paddle (FEBASUP) e contou sobre a relação que tem com o esporte e o desfaio da prova deste sábado. “Sou atleta desde 2013 e sou apaixonada pelo SUP. É um esporte que, quando comecei a fazer, foi amor à primeira remada. E de lá pra cá só tenho evoluído. Hoje sou atleta profissional, participei da primeira etapa do campeonato brasileiro, em Salvador, onde fiquei em primeiro lugar. A prova de hoje foi técnica, sendo preciso ter habilidade com as ondas, nas boias, correr na areia. Uma competição extremamente dinâmica e que exige muito do atleta”, afirmou.
Foto: Arquivo
Iris também destacou o poder transformador do esporte. “Através dele você pode desenvolver não só a sua saúde, mas também o psíquico, emocional e mental. Nós temos aqui vários exemplos da transformação proporcionada pelo esporte, de adolescentes que começaram a disputar e que hoje despontam nos top 10 do Brasil. São meninos de origem humilde, que tiveram suas vidas transformadas pelo esporte. E nunca é tarde para começar”, completou.
Ao todo, foram R$ 11 mil em premiação, divididos entre diversas categorias das duas modalidades. Na sup wave, o atleta utiliza remos para, em 15 minutos, surfar nas ondas; já a sup race é uma modalidade técnica na qual o competidor faz um trajeto em contorno de boias, tendo percurso de 1 quilômetro (km) e sendo realizadas diferentes números de voltas de acordo com a categoria.
Foto: Arquivo
Um exemplo do quanto o Stand Up Paddle contempla pessoas de variadas idades é a pequena Amanda Lima, 12 anos, que conquistou o primeiro lugar nas categorias kids e júnior. A garota pratica o esporte há três anos e já coleciona inúmeros triunfos. “A prova é bastante cansativa e poder alcançar a vitória, sendo premiada, é gratificante”, disse. A garota estava acompanhada da mãe, Altacira de Souza, que ficou bastante alegre com o resultado da filha. “É ótimo ver minha menina se destacando. Ela desenvolve as aulas do SUP através do Projeto Pedra Que Ronca, em Itapoan, onde também é feito o acompanhamento escolar, então é maravilhoso perceber minha filha evoluir nos estudos e também no esporte”, afirmou.
Quem também subiu ao pódio durante a competição neste sábado foi Sinara Pazos, que conquistou o ouro no Paddlboard Feminino. “Pratico a modalidade há 10 anos, já participei de quatro disputas mundiais e sou atualmente a top 8 mundial. A prova de hoje exigiu muita experiência e fiquei muito feliz com o resultado”, disse.
Foto: Arquivo
O Itacimirim Grand Slam 2023 teve apoio da Prefeitura de Camaçari e da empresa Radial Transporte de Veículos e Cargas. A etapa final do Circuito Baiano de Sup Race 2023 será realizada no dia 18 de novembro, em Simões Filho. Outras informações podem ser obtidas no site da ABASUP disponível neste link.