Bahia terá mais 30 novos projetos de energia solar e eólica

Com investimentos de R$ 3,4 bilhões, a Bahia concentra a maior parte dos parques de energia eólica e solar a serem instalados no país, a partir de 2015 – com previsão de entrada em operação em 2017. O estado foi o principal destaque dos empreendimentos das empresas que participaram do leilão de energia de reserva, realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), na última sexta-feira. Dos 62 projetos vencedores, 30 serão instalados em solo baiano (14 solares e 16 eólicos). Juntos, eles serão responsáveis pela geração de 773,1 MW.

Parque eólico em Brotas de Macaúbas: Bahia é destaque na geração de energia limpa
Parque eólico em Brotas de Macaúbas: Bahia é destaque na geração de energia limpa

Os demais empreendimentos serão distribuidos pelos estados de São Paulo, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Piauí, Minas Gerais, Goiás, Paraíba e Ceará, somando 31 projetos. No total, considerando os empreendimentos previstos para a Bahia, os investimentos para as duas fontes superam R$ 7 bilhões.

A Bahia foi destaque nas duas fontes, respondendo por 49% da geração de energia dos projetos de eólica (373,5 MW ) e 45% de energia solar (399,6 MW). “A expectativa era grande para a energia solar, pois se tratava do primeiro certame que contratou um produto exclusivo da fonte”, afirmou o engenheiro eletricista Rafael Valverde, superintendente de Indústria e Mineração da Secretaria da Indústria, Comércio e Mineração (SICM), que comemorou “o volume surpreendentemente alto”.

Disputa

Segundo o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, o leilão destacou-se pela acirrada disputa pelos empreendimentos fotovoltaicos, que foram ofertados separadamente de outras fontes. “Foi o certame mais disputado da história dos leilões de energia no Brasil”, disse.

Três empresas venceram os projetos a serem instalados na Bahia, somando investimentos de R$ 2 bilhões. A Enel, que foi a maior vencedora individual do leilão, deve instalar o projeto no município de Tabocas do Brejo Velho, no oeste baiano. Já as empresas Renova Energia e Rio Energy vão instalar os parques em Caetité, na Chapada Diamantina. O município já sedia atualmente o empreendimento Alto Sertão-I, composto por 14 parques, que formam o maior complexo eólico da América Latina, gerido pela Renova Energia.

Entre os novos projetos eólicos, o município volta a sediar novo empreendimento da Renova. As demais empresas vencedoras no setor eólico foram a CEA e o Consórcio Enel-Sowitec, que vão instalar parques em Campo Formoso (Enel-Sowitec), Gentio do Ouro e Xique-Xique (CEA), no semi-árido. “O que se traduz em nova oportunidade econômica para a região”, frisa Rafael Valverde.

SunEdison vai fornecer placas fotovoltaicas para a Renova:

A empresa Renova Energia, que é responsável pela gestão na Bahia do maior complexo eólico da América Latina, anunciou que vai adquirir placas fotovoltaicas da SunEdison. A empresa norte-americana  mantém atualmente escritórios  em São Paulo e Recife.

A SunEdison vai fornecer os equipamentos para a construção dos parques solares fotovoltaicos a serem instalados na Bahia, sendo que os equipamentos terão que atender os requisitos exigidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para o financiamento de longo prazo.

Líder  mundial em tecnologia solar fotovoltaica e de semicondutores, a companhia também é a fornecedora líder de serviços de energia solar. A empresa desenvolve, financia, constrói, opera e realiza manutenção de usinas solares fotovoltaicas em grande escala e sistemas sobre coberturas comerciais e residenciais, estando presente em  mais de 25 países.

Os novos projetos da Renova na Bahia preveem a instalação de mais quatro parques, no município de Caetité, na Chapada Diamantina. Com os novos projetos, a  capacidade instalada contratada da companhia passa de 2.301,1 MW para 2.451,5 MW, consolidando a liderança no mercado de energia renovável no Brasil.

Fonte: A Tarde