Brasil será sede da Copa do Mundo Feminina de 2027

O Brasil conquistou nesta sexta-feira (17) o direito de sediar a Copa do Mundo Feminina de 2027, superando a candidatura conjunta da Bélgica, Holanda e Alemanha em uma votação no Congresso anual da Fifa.

Após o sucesso da edição de 2023 na Austrália e na Nova Zelândia, que arrecadou um recorde de US$ 570 milhões (R$ 2,9 bilhões) em receita comercial, a Fifa decidiu continuar sua expansão do futebol feminino levando o torneio para a América do Sul pela primeira vez.

Os delegados da entidade que rege o futebol mundial escolheram por 119 votos a 78 dar a 10ª edição do torneio para o Brasil, provocando celebrações eufóricas entre os membros da delegação brasileira na sala de conferências de Bangkok, capital da Tailândia.

“Parabéns ao Brasil. Vamos agora organizar a melhor Copa do Mundo da história no Brasil”, declarou o presidente da Fifa, Gianni Infantino, após o anúncio da vitória da candidatura brasileira.

Antes da votação dos delegados da Fifa, o Brasil já havia superado a candidatura conjunta de Bélgica, Holanda e Alemanha na avaliação técnica, recebendo nota 4 (de 1 a 5), contra 3,7 da proposta europeia.

A 10ª Copa do Mundo Feminina da história terá 10 sedes: Beira-Rio (Porto Alegre), Arena Corinthians (São Paulo), Maracanã (Rio de Janeiro), Mineirão (Belo Horizonte), Fonte Nova (Salvador), Arena Pernambuco (Recife), Arena Castelão (Fortaleza), Arena Amazonas (Manaus), Arena Pantanal (Cuiabá) e Mané Garrincha (Brasília).

A tarde