Camaçari: Greve dos professores da rede municipal começa nesta segunda-feira (2)

Cerca de 40 mil alunos da rede pública de Camaçari, incluindo Educação Infantil, Ensino Fundamental I e II e EJA (Educação de Jovens e Adultos), das 97 escolas municipais, não terão aula a partir da próxima segunda-feira (2). A decisão da greve foi tomada na tarde desta sexta-feira (27), durante assembleia realizada com os professores, no Plenário da Câmara de Vereadores. Na ocasião, cerca de 300 profissionais se reuniram para ouvir da diretoria do Sispec (Sindicato dos Professores da Rede Pública de Camaçari) a pauta da reunião realizada nesta quinta-feira (26), entre o sindicato e representantes da prefeitura.

10966496_644100989028939_1451111639_n 11012265_644101759028862_527065678_n 11025414_644101722362199_708429331_o 11040740_644101795695525_1019680760_n

Depois de muita discussão, os profissionais decidiram através de uma votação que a greve está confirmada, embora a decisão já tivesse sido tomada na terça-feira (24), após uma assembleia realizada com os profissionais da educação. A greve segue até que haja um acordo entre o governo e o sindicato. “A greve se estende até que a nossa proposta seja aceita”, disse o presidente do Sispec, Jorge Freitas.

Os profissionais só saberão se suas exigências serão atendidas na próxima quinta-feira (05/03), quando a Prefeitura encaminhará resposta ao sindicato, após avaliar as reivindicações da categoria.

Um novo rumo pode ser tomado a partir de segunda-feira, já que neste mesmo dia em que se inicia a greve, tomará posse o novo secretário de educação do município, Márcio Neves que, segundo comentários ouvidos na assembleia, possui um perfil diferente do secretário atual Valter Lima.

Reivindicações:

De acordo com o sindicato, as negociações já se arrastam há meses. Os professores reivindicam o cumprimento por parte da Administração Municipal dos acordos assinados na Ata de Negociação de 2014. Entre as reivindicações, estão: Resposta ao PCCR (Plano de Cargos, Carreira e Remuneração); cumprimento do Projeto de Lei Gratificação por qualificação, que prevê gratificações aos professores que participarem de cursos de qualificação e aperfeiçoamento; repasse do Imposto Sindical; pagamento de 1/3 de férias; falta de merenda escolar; escolas sem manutenção estrutural; falta de livro didático; transporte escolar digno e segurança escolar.

Outra reivindicação da categoria é a respeito do Quinquênio, benefício exigido para os profissionais que têm cinco anos de prestação de serviço. O Governo Municipal só paga o Decênio, ou seja, benefício de 10% anual apenas para quem já fez dez anos de serviço.

Sobre a reunião entre o Sispec e a prefeitura, realizada nesta quinta-feira (26):

Os secretários de Governo, Sérgio Paiva; de Educação, Luiz Valter de Lima; das Relações Institucionais, Demétrius Moura; e de Administração, Luzineide Andrade; se reuniram com a diretoria do Sispec (Sindicato dos Professores e Professoras da Rede Pública de Camaçari). Na ocasião foi instalada a mesa de negociação das pautas de reivindicação 2015 da categoria, que inclui reajustes nos auxílios- alimentação e transporte. A Prefeitura avaliará as reivindicações e encaminhará resposta ao sindicato na próxima quinta-feira (05/03). Uma nova reunião entre os dirigentes do Sispec e o Governo está marcada para a sexta-feira (06/03). O subprocurador do município, Edimilson Souza, também participou da discussão.

Texto: Fernanda Melo / Redação Nossa Metrópole