Menor que participou de execução no Gravatá é liberado pela justiça

O menor, de iniciais J.B.J., de 17 anos, apresentado na manhã desta quinta-feira (30), ao Ministério Público de Camaçari, já foi liberado pela justiça. O adolescente está sendo acusado de participar da execução de Geovane Pereira Bacelar, ocorrida no início da tarde desta quarta-feira (29). Ele foi detido horas após o homicídio, no mesmo bairro onde ocorreu o crime, no Gravatá.

Geovane, conhecido como “Negro Bru”, foi executado com cinco tiros na porta de casa, por volta das 13h30. Segundo testemunhas, dois homens em uma motocicleta abordaram a vítima. O menor apreendido era o condutor do veículo e um segundo elemento teria efetuado os disparos. De acordo com a polícia, trata-se de um crime de mando.

Ainda segundo a polícia, Geovane era um homem trabalhador e não tinha nenhum envolvimento com qualquer tipo de crime. Ele havia chegado do sudeste do país há poucos meses para trabalhar. Segundo a delegada que investiga o caso, Dra. Maria Tereza Silva, a motivação do crime foi muito banal. “Geovane teria chamado a atenção, dias antes, de algumas pessoas que consumiam maconha próximo à casa dele, pedindo que as mesmas deixassem de praticar o ato ali próximo à sua residência por causa do forte cheiro da droga”, disse a delegada. “Inconformados, os bandidos decidiram se vingar”, conclui.

A juíza ouviu o menor e o devolveu aos seus familiares.

Redação Nossa Metrópole

 

O menor foi apresentado nesta quinta-feira ao Ministério Público. Foto: Everaldo Lins
O menor foi apresentado nesta quinta-feira ao Ministério Público e liberado logo em seguida. Foto: Everaldo Lins