Suspeito de matar turista espanhol é procurado por mortes de policiais

Hugo Calavia Blanco foi baleado e morreu (Foto: Reprodução)

Os dois suspeitos de matar um turista espanhol e balear outro em Itapuã, na noite de segunda-feira, durante um assalto, já foram identificados pela polícia.

Ivo Pereira Barreto, o Lequinho, e João Paulo dos Santos de Jesus da Silva, o Sardinha, ambos de 19 anos, tiveram os nomes e fotos divulgados na quarta-feira (15), durante coletiva de imprensa comandada pelo delegado Antonio Carlos Santos, da 12ª Delegacia (Itapuã), que está responsável pelo caso.

Hugo Calavia Blanco e Alberto Aroz Calvo, os dois de 36 anos, estavam em um bar no Largo de Itapuã e foram surpreendidos pelos assaltantes quando foram pegar o carro, um EcoSport preto alugado, em uma praça na Rua Calazans Neto. Hugo foi baleado na cabeça e morreu no local.

Hugo Calavia Blanco foi baleado e morreu (Foto: Reprodução)
Hugo Calavia Blanco foi baleado e morreu
(Foto: Reprodução)

Alberto foi atingido no tórax e no pé e está internado no Hospital Português. O veículo roubado foi recuperado, mas os suspeitos ainda estão foragidos. Toda a ação foi registrada por três câmeras de segurança que ficam em imóveis da área.

O primeiro registro foi às 20h45, quando a dupla de assaltantes chega à praça caminhando. “Eles passaram pela região duas vezes. Vão e vem, até resolverem sentar para esperar por uma vítima”, afirmou o delegado.

Suspeitos chegam à Rua Calazans Neto. Meia hora depois, irão balear amigos espanhóis (Foto: Almiro Lopes)
Suspeitos chegam à Rua Calazans Neto. Meia hora depois, irão balear amigos espanhóis
(Foto: Almiro Lopes)

Às 21h15, a dupla volta a passar na frente das câmeras e senta em uma mureta. Lequinho está de boné e camisa clara, enquanto Sardinha veste uma blusa mais escura e bermuda. Quatro minutos depois, os amigos espanhóis surgem no canto da tela e caminham em direção ao carro, que estava estacionado a poucos metros dos bandidos.

Os criminosos aguardam 25 segundos e abordam os turistas. Neste momento, é possível perceber uma discussão entre os quatro. Exatos 14 segundos depois, os espanhóis tentam correr e um clarão surge na tela. Segundo a polícia, esse foi o momento em que Lequinho teria atirado contra as vítimas. Menos de um minuto depois, eles entram no carro e fogem.

Ainda é possível ver Alberto caminhando ferido até a entrada de um condomínio. Ele senta próximo ao jardim do imóvel e aguarda socorro.

Carro roubado por criminosos foi encontrado com marcas de colisão na parte da frente (Foto: Marina Silva)
Carro roubado por criminosos foi encontrado com marcas de colisão na parte da frente
(Foto: Marina Silva)

Veículo

O EcoSport, que teria sido alugado por Alberto, foi encontrado ontem, por volta das 7h, em Lauro de Freitas. O veículo estava abandonado próximo a um bambuzal, no bairro do Caji, e foi localizado por homens da 81ª Companhia Independente da PM (Lauro de Freitas).

O banco traseiro do automóvel estava chamuscado, como se os bandidos tivessem tentado colocar fogo no veículo. Além disso, a lanterna direita estava quebrada e parte da lateral amassada. A polícia suspeita que, na fuga, os assaltantes bateram o carro contra outro veículo.

“O carro ainda vai passar por perícia, mas desconfiamos que eles bateram em outro veículo, pelo dano causado”, contou o delegado Antônio Carlos Santos.

Lequinho

De acordo com a polícia, Ivo Barreto, o Lequinho é um bandido conhecido. Além de passagem por roubo, ele também é suspeito de envolvimento na morte de dois policiais, no ano passado. O primeiro crime ocorreu em 14 de julho de 2014. O cabo Clóvis Silva da Paixão, 47, tomava café em uma padaria no Caji, quando foi surpreendido por dois homens armados.

O PM não estava fardado, pois estava de folga, mas foi reconhecido por um dos bandidos, imobilizado com uma “gravata” e baleado na cabeça. Ele tinha 25 anos de corporação. Nove dias depois, Lequinho também teria se envolvido no homicídio do investigador Jorge Cesar de Castro Pereira, 55, na Estrada Velha do Aeroporto.

Segundo a investigação, o policial civil conversava com um amigo na porta de um galpão, próximo a Mussurunga, quando três homens chegaram e anunciaram um assalto. Os bandidos queriam as chaves do Voyage do agente, que tentou puxar a pistola para deter os bandidos, mas foi imobilizado por um dos homens, também com uma “gravata”, até que um dos suspeitos atirou na sua cabeça.

Sardinha

O delegado contou que ouviu ontem o pai de João Paulo, o Sardinha. O homem, que não teve a identidade revelada, disse ao chefe das investigações que estava sem ver o filho há três dias, mas negou que o rapaz que aparece nas imagens seja Sardinha.

“Ele disse que não reconhecia o filho nas imagens, mas as evidências mostram o contrário. As imagens são claras e nós não divulgamos isso antes para a imprensa porque queríamos ter certeza”, disse Santos. Ainda segundo o delegado, Sardinha tem passagem por roubo e porte ilegal de arma.

O caso está sendo investigado também pela Delegacia de Proteção ao Turista (Deltur) e pela Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (DRFRV). A polícia solicitou à Justiça a prisão preventiva dos suspeitos e eles já são considerados foragidos.

Até ontem à tarde, o corpo de Hugo Calavia permanecia no Instituto Médico Legal Nina Rodrigues, onde passou por perícia. A família dele não havia chegado a Salvador até as 18h. A assessoria do Hospital Português informou, em nota, que Alberto Calvo permanecia internado na unidade, com quadro clínico estável.

Fonte: Correio 24 Horas